Arvedi ESP

Arvedi ESP — A VERDADEIRA PRODUÇÃO DE TIRA SEM FIM

A tecnologia de produção de tiras sem fim revoluciona a produção de aços planos, da mesma forma que a tecnologia de fabricação de aço em convertedor LD e o lingotamento contínuo mudaram a face da indústria de fabricação de aço no século anterior.

O processo Arvedi ESP produz tiras a quente em um processo combinado, contínuo e ininterrupto de lingotamento e laminação. Nesse tipo de planta, o consumo e os custos de energia são até 45% menores do que nos processos de lingotamento e laminação convencionais. Isso significa uma redução significativa nas emissões de CO2. Com um comprimento de apenas 180 metros, as plantas também têm um tamanho consideravelmente mais compacto do que as plantas de lingotamento e laminação convencionais. Pode-se produzir um amplo leque de tipos de aço de alta qualidade e ultrafinos com o processo de lingotamento contínuo e laminação sem fim.


Tendo como base uma tecnologia comprovada, o processo Arvedi ESP opera com sucesso desde 2009 na usina da Acciaieria Arvedi S.p.A. (Arvedi), Itália, permitindo a produção de bobinas laminadas a quente de excelente qualidade.

Com base nas características de design e de configuração exclusivas de uma planta ESP, pela primeira vez é possível a laminação contínua e sem fim de tiras de alta qualidade. Devido à configuração altamente compacta da linha ESP, com um comprimento total de apenas 180 metros, combinada com a conexão direta entre os processos de lingotamento e laminação, há uma redução nos custos operacionais e de investimento quando comparado com plantas convencionais de lingotamento de placas finas e laminação direta.

Graças às operações de laminação sem fim, propriedades mecânicas repetíveis e uniformes são obtidas ao longo de todo o comprimento da tira, sendo as perdas de rendimento reduzidas a um mínimo, pois praticamente se eliminam os cortes das extremidades inicial e final das tiras (despontes). Outra vantagem decisiva é que, com a operação de laminação contínua, a abertura entre cilindros e os ajustes de pressão são constantes durante todo o processo de laminação, resultando em maior vida útil dos cilindros - ao contrário da laminação intermitente de barras individuais, em que os cilindros sofrem grande desgaste.

As linhas ESP são ideais para instalação em mini-mills ou em usinas existentes, quando se deseja aumentar a capacidade de produção em até cerca de três milhões de toneladas por ano.

Principais seções e recursos das plantas

  • Lingotamento de chapas finas em um molde reto, com espessuras de 90 mm a 110 mm
  • Redução de espessura do veio com núcleo líquido para 70 mm a 90 mm
  • Reduções adicionais de espessura na laminação de alta redução em linha para a produção de tira intermediária com uma espessura de 10 mm a 20 mm
  • Aquecimento por indução para garantir condições corretas de temperatura para a laminação de acabamento
  • Descarepação sob alta pressão
  • Redução até a espessura final da tira em laminador de acabamento contínuo de 5 cadeiras
  • Resfriamento da tira por meio de sistema de resfriamento com fluxo laminar de água
  • Corte da tira com tesoura de alta velocidade antes do bobinamento
  • Bobinadeiras+G18

Exemplos de produtos 

A qualidade dos produtos de aço Arvedi ESP é no mínimo igual à qualidade do aço produzido em um laminador de tiras a quente convencional. Considerando as propriedades mecânicas uniformes e consistentes do aço a ser produzido no processo de laminação sem fim Arvedi ESP, o resultado são produtos de qualidade superior. A excelente qualidade da superfície é demonstrada nos testes de laminação a frio realizados pelos principais fornecedores europeus de chapas automotivas. Exemplos de produtos que podem ser fabricados a partir do aço produzido em uma planta Arvedi ESP incluem aços que atendem aos mais rigorosos requisitos para aplicações automotivas e aparelhos eletrodomésticos.
 

Razões para investir

Devido às características únicas do processo e à configuração da tecnologia Arvedi ESP, consegue-se obter benefícios operacionais, de produto e de custos.

O menor investimento

  • Capex e  Opex mais baixos devido ao layout compacto. A redução do investimento total em regime turn-key resulta em um menor período de retorno do investimento.

Os mais baixos custos operacionais

  • Produção de grandes quantidades de aço com pequena espessura (0,8 mm ou menos), com minimização de sucateamento, uma vez que não é necessária a inserção do material nas cadeiras de laminação final
  • Maior rendimento devido à eliminação do corte das extremidades inicial e final das tiras (desponte)
  • Significativa economia de energia devido ao curto comprimento da linha (180 m) e à conexão direta entre os processos de lingotamento contínuo e laminação

Maior lucratividade

  • Produtos de alto valor agregado através do controle total e consistência das propriedades geométricas e metalúrgicas devido às condições de laminação constantes
  • Produção econômica de tiras finas laminadas a quente, substituindo muitas aplicações de tiras laminadas a frio
  • Processo altamente flexível com curto tempo até a chegada ao mercado
     


As mais recentes soluções de controle e automação de processo são itens padrão nas linhas Arvedi ESP, abrangendo toda a rota do processo, desde o lingotamento contínuo da placa, passando pelo aquecimento por indução, até a laminação a quente e o resfriamento e bobinamento da tira.
Uma gama completa de pacotes tecnológicos na seção de lingotamento regula o nível de aço no molde e monitora os valores de atrito para prevenção de rompimentos de molde, a velocidade de lingotamento, os parâmetros de temperatura e resfriamento e as configurações para redução de espessura da placa no laminador de alta redução.

O aquecedor por indução possibilita um controle preciso da temperatura em função do tipo de aço, dimensão da placa, velocidade de produção e requisitos subsequentes. 

Na seção de laminação de acabamento, todos os parâmetros essenciais da laminação são monitorados e controlados, incluindo o controle de velocidade, controle de perfil e de planicidade, ajustes dos cilindros, circuitos de feedback, desvios em relação aos valores especificados de tolerância e medidas de correção. 
Na seção de resfriamento, a aplicação de resfriamento laminar combinado com o avançado know-how metalúrgico permite produzir diferentes tipos de aço, como HSLA (aços baixa liga de alta resistência) ou aços de fases múltiplas para aplicações altamente exigentes.

Por fim, um sistema de controle da qualidade monitora toda a planta, controlando todos os parâmetros de qualidade relevantes. Em caso de desvios, o sistema propõe ajustes para assegurar que as especificações do produto sejam atendidas.

Referências

O futuro da produção de tiras a quente:

O processo ESP é uma tecnologia comprovada para atender as necessidades atuais na produção de aços ultrafinos e de aço de alta qualidade.

  •  6 fornecimentos em todo o mundo em curto espaço de tempo
  •  Capacidade instalada de 13 milhões de toneladas/ano
  •  10 milhões de toneladas já produzidas com o processo ESP